quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

A "moto".

A escolha da moto não foi muito difícil pra mim, eu já tinha feito muitas viagens pelo sul e sudeste com uma biz 125, ela sempre foi muito confiável e econômica, tem seus pontos baixos, como autonomia e velocidade. Até certa altura do planejamento da viajem eu estava disposto a encarar a viagem com minha velha guerreira Biz 125 2006, pois ela estava com o motor novo denovo aos mais de 130.000km rodados, então eu poderia confiar na mecânica, eu já estava preparado para ir regulando o carburador de tempos em tempos pelo fato da altitude, mas comecei a ler relatos de que foi com motos carburadas e teve que tirar o filtro de ar e que o consumo aumentou muito, isso começou a me por em duvida quanto a realização da viajem com a velha guerreira, pois eu teria trecho de mais de 230km sem posto de gasolina e dependendo do consumo eu teria que levar mais de 10 litros de gasolina reserva, o que eu acho que seria impraticável. Então comecei a pesquisar uma biz com injeção pra comprar, estava pensando em uma 2009, desde que tivesse baixa quilometragem, até achei, porêm, o tanque da biz 2011 conta com quase 50% a mais de volume, o que me daria uns 50% a mais de autonomia, isso significa que eu teria que parar menas vezes para reabastecer e por consequência, o numero de vezes que eu teria que ficar desamarrando a bagagem de cima do banco seria menos e com isso menos tempo perdido. Então achei em Tubarão uma Biz 125 EX 2011 por um preço bom e com 5000km rodados, fui buscar.
         Minhas impressões sobre a moto:
Muito mais econômica que a velha guerreira, ela faz com cabo enrolado 40km/l e andando até 80km/h ela chega a fazer 55km/l. Os aros de liga são muito mais resistentes que os de ferro, no caminho de volta de Tubarão achei uma panela na estrada que estourou as duas câmaras e cortou os dois pneus, os aros saíram ilesos, se fosse de ferro teria sido fatal para os dois.
Esta foto foi tirada na volta de Tubarão, na cidade de Bom jardim da serra.