sábado, 27 de dezembro de 2014

6º Dia San Luis-Ar a Los Andes-Ch 575km



Dia 25 de dezembro de 2014

       Acordei cedo novamente, umas 7:30, segui para um dia melhor que o anterior, iria cruzar a cordilheira, o que é sempre demais, passei por Mendoza direto sabia que tinha algumas coisas pra se ver lá mas como nunca tinha lido a respeito, não quis perder tempo. Comecei a subir a cordilheira e não tem como descrever, tudo muito lido, a cada curva um clique.
 Escultura em uma das praças de pedágio da ruta 7 apos Mendoza

 Capelinha da Difunta Corrêa, tem varias por todas as rodovias da Argentina.

Monumento na entrada de Mendoza

Chegando na cordilheira depois de vários dias sem ver um morro sequer. 

Represa perto de Mendoza 

Represa perto de Mendoza 

Um dos vários túneis na cordilheira - Ruta 7 - Mendoza 


Litros de água para Difunta Corrêa, nunca tinha visto tantos.

       Em Uspallata comprei meu almoço, frango com batata frita pra levar, segui até um ponte e parei, fui comer debaixo dela, o sol estava de rachar.


      Continuei subindo, parei para ver o Aconcágua, entrei no parque e fui até o mirante, mas estava encoberto, pela rodovia eu via ele e chego lá estava encoberto, só podia ser brincadeira. Antes fui ver a Ponte del Inca.








       Depois cheguei ate a entrada do túnel Cristo Redentor a 3185 metros de altitude, deixei ela de lado e subi por uma estrada antiga de rípio que leva a uns 4000 metros de altitude, lá estava até nevando, ralo mas tava, muito frio. Achava que teria que voltar de lá e passar pelo túnel, mas podia descer para o Chile pelo outro lado, assim economizei o pedágio do túnel, e aproveitei a bela vista da descida, foram 18km de ripio.


Subida do Paso Los Libertadores por estrada ripiada.  

 Subida do Passo Los Libertadores por estrada de rípio.  


 Subida do Passo Los Libertadores por estrada de rípio.  


 
Subida do Passo Los Libertadores por estrada ripiada.  Os pontinhos branco na fotos era neve caindo.


O que sobrou do inverno. 

Paso Los Libertadores



                    Descida do Paso Los Libertadores por estrada ripiada no lado chileno.  

 Proteção conta avalanches e deslizamentos no lado Chileno.

Los Caracoles, um sonho de muito tempo realizado.  


Acampamento tranquilo.


        Depois peguei a ruta novamente e fui até a aduana, lá descobri que o pessoal que fez minha entrada na Argentina esqueceu de fazer a entrada da moto, então foi uma hora perdida preenchendo papel e os cara perguntando uns para os outros  o que fazer até que sai de lá para ver os Caracoles.
        Comecei a descer e cheguei a eles, tirei as fotos e continuei descendo, ja estava escurecendo. Achei um lugar na beira de um rio e montei a barraca, já eram 22:00 pelo horário de Brasilia. Neste dia foram 575km rodados