domingo, 8 de abril de 2018

Dia 20 - 24/12/2017 De Peñas na Bolívia a Cuturapi no Peru


Vigésimo dia de viagem
24/12/2017  De Peñas na Bolívia a Cuturapi no Peru
Dormi por 11 horas seguidas, estava precisando mesmo, a diarreia tinha acabado comigo, mas já estava bem novamente, apenas um comprimido e já estava bom. Fiquei lá deitado por mais uma hora e então comecei a desmontar o acampamento. Comecei a ouvir vozes e quando vejo tinham 5 caras na frente da barraca. Vieram ver o que eu estava fazendo ali. Expliquei, conversamos um pouco sobre minha viagem e sobre o trabalho deles, eram agricultores. Nos despedimos, eles foram embora e eu continuei a desmontar a barraca e ainda tive que trocar a coroa novamente, pois neste dia eu não ia precisar dela, pois iria para Puno e não teriam grandes subidas.
Parei em uma vila e numa feirinha destas de praça, comprei bananas e mini peras para o café da manhã. Chegando no asfalto novamente se via ao longo dele varias crianças balançando as mão para cima e para baixo, as vezes com um chapéu ou boné na mão, como já tinha visto no dia anterior vindo de El Alto. Para frente ví o motivo. Parece que é um costume deles de as pessoas que podem um pouco mais pegar o carro e ir para as estradas na véspera e no dia de natal doar presentes para as crianças. Ví alguns carros caros cheios de presentes para serem entregues, assim como também ví vans cheias e sempre que paravam era aquela correria das crianças. Coisa bonita de se ver e também triste por saber que nem todas terão um presente. Eu estou levando comigo carrinhos e bichinhos de borracha para dar a crianças das regiões mais isoladas, onde aqueles carros certamente não passarão, são brinquedos simples e pequenos, até porque minha moto e meu bolso não suportam brinquedos grandes e bons.




Travessia em balsa de madeira





Cidade de Copacabana na Bolívia

Catedral de Copacabana





Truta do Lago Titicaca

Cheguei em Copacabana e lá tem um pedágio, já tinha pago para passar lá no ano passado, desta vez tinha um policial no meio da estrada, eu vi que os caras dos carros saiam do carro e iam até a casinha pagar voltavam e entregavam um papel para o policial, eu dei de João sem braço e continuei na fila até chegar minha vez de entregar o papel para o policial.
Ele perguntou de onde eu vinha e se ia para o Peru, falei que ia para o Peru e ele mandou segui, certamente se falasse que ia pra Copacabana ia mandar comprar o papel. Abasteci na cidade por 7 Bolivianos o litro e desci até a praia de onde saem os passeios para a Isla del Sol, comi uma trucha a la plancha e na saída tentei por uma rua e a moto não subiu, mas pela outra subi.

Cheguei na imigração e na aduana e não tinha ninguém, fiz a saída da Bolívia rapidamente e da mesma forma a entrada no Peru. Na aduana peruana eu estava meio que com medo de pedirem uma propina por eu não ter o SOAT, mas foi de boa, o agente foi super gente fina e nem falou do SOAT.
Fiz o cambio e segui até Yunguio onde eu poderia fazer o SOAT, mas estava fechado e terei que ir até Puno sem. Uns 20 km depois eu vi uma placa indicando uma praia e entrei pra ver se achava um lugar para acampar, este estrada era por dentro de lavouras e não tinha saída para o lago, mas tinha uma boa área onde eu poderia acampar perto do lago, tinham vários agricultores trabalhando ainda e me olhando curiosos, mas resolvi acampar assim mesmo, pois o máximo que pode acontecer é alguém me mandar sair de lá. Uma tempestade se anuncia sobre o lago e vindo na direção do acampamento, finquei bem as estacas  e mais tarde saberei se choverá.